Header Ads


Bilhetes de identidade não estão a ser emitidos por falta de Tinteiro

Bilhetes de identidade
não estão a ser
emitidos por falta de
Tinteiro

Portal Vany Musik:Publicado
01/05/2016 15:43:00

A emissão do bilhete de identidade em
alguns postos de Luanda está cada vez
mais difícil. Numa ronda feita por este
jornal pelas repartições do Rangel,
Cazenga, Maianga, Samba e Sambizanga
foi possível verificar o fraco
funcionamento deste órgão pertencente
ao Ministério da Justiça.

U ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Vários cidadãos ouvidos por este jornal
disseram que já se vive esta situação
desde o mês de Janeiro e que nem os
responsáveis das repartições, nem o
Ministério da Justiça dizem o que se
passa de concreto.

Em frente à repartição de identificação
do Cazenga, o cenário que se vive
diariamente, ainda de acordo com
populares, é de extrema confusão entre
as pessoas que aguardam para receber
os bilhetes.

Com o rosto marcado pelo cansaço, a
jovem Maria Bernardino, residente no
bairro dos Kwanzas, disse ao NJ que
tratou o seu documento de identificação
no dia 11 de Janeiro e que até hoje não
o recebeu. “Não sei o que se está a
passar e ninguém nos vem dizer qual é
o problema. É muito desgastante a
pessoa vir aqui todos os dias, não há
informações exactas, uns dizem que é
falta de plástico, outros dizem que falta
tinta. É uma pouca-vergonha”, reclama.
No distrito do Rangel a situação não é
diferente. Vários funcionários sem nada
para fazer, alguns a conversar ao
telefone, outros com as pastas aos
ombros a indicar que esperavam a hora
da saída foi o cenário verificado.
Desapontada com a situação, Teresa
Francisco disse que está com
dificuldades para tratar de documentos
e que pretende viajar para o exterior
por razões de doença.

“Acho que se esqueceram que é com os
bilhetes de identidade que se trata todo
o tipo de documentos. As pessoas estão
a sofrer muito com tudo isso. Estou
muito doente e não consigo viajar por
falta do bilhete para tratar dos
documentos que são necessários”,
explicou.
Quem também vive situação semelhante,
aguardando a entrega do bilhete há três
meses, é o jovem Gomes Eduardo, que
também pretende tratar de documentos
para viajar para o exterior a fim de
concluir o mestrado em gestão de
empresas.

No município do Sambizanga, o cenário
encontrado foi idêntico. Carlos Alberto,
de 35 anos, disse que se viu obrigado a
recorrer a terceiros para tirar a
segunda via do seu BI, que, ainda assim,
até hoje também não recebeu. “É
cansativo e irrita ao mesmo tempo.
Nunca vi isso acontecer antes, e este é
um problema que o País inteiro está a
viver”.

Questionado sobre se tem informações
da razão da não emissão de bilhetes de
identidade, Carlos Alberto respondeu
que é devido à falta de plástico. “Tenho
amigos que trabalham em várias
repartições e dizem que não há
plásticos, mas oficialmente ainda não se
disse nada”.

Maria Manuel é outra cidadã que não
compreende por que razão, desde o mês
de Janeiro, não emitem bilhetes e ainda
assim continuam a receber documentos
dos requerentes.
No distrito da Maianga e no município
da Samba também se viu enchentes,
sendo portanto muitos os municípios
que se dirigem às repartições para
tratar o bilhete ou para o tentar
receber.

Ouvidos pela reportagem, vários
munícipes disseram que a situação já
está a tomar contornos alarmantes e
que é necessário que os responsáveis do
Ministério da Justiça informem a
população do que se está a passar.
Contactos feitos por este jornal nas
províncias do Zaire, Cabinda, Bengo,
Malanje e Lunda-Sul garantem que,
desde o mês de Janeiro, não se emitem
bilhetes de identidade.

De acordo com as nossas fontes, não há
plástico para a sua impressão. A
reportagem tentou contactar o
ministério da Justiça para obter
informações sobre o assunto, mas sem
sucesso.
Com tecnologia do Blogger.